Search

Psiquiatra-palhaço da Cracolândia de São Paulo, Flávio Falcone visita sede da Adesaf para firmar parceria em projetos de Redução de Danos

Para fechar a semana em que se comemora o Dia Mundial da Saúde Mental, a Associação de Desenvolvimento Econômico e Social às Famílias (Adesaf) conversou com Flávio Falcone, psiquiatra formado pela Universidade de São Paulo (USP) que, atualmente, integra a equipe do Programa de Orientação e Atendimento a Dependentes (Proad) da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). Também é idealizador do Projeto Teto, Trampo e Tratamento, na Cracolândia, na Capital, onde também atua como palhaço.

Falcone visitou a sede da Adesaf e conversou com a diretora-presidente da instituição, Fernanda Gouveia.
“Tenho a intenção de fazer uma parceria com a Adesaf, principalmente, no atendimento a pessoas que tenham a intenção de usar o canabidiol (substância presente na maconha)“.

Ele, que tem um trabalho reconhecido nacionalmente, atua desde 2006 na região popularmente conhecida como Cracolândia, na estratégia de redução de danos associados a pessoas que fazem uso abusivo de substâncias psicoativas.

“A autonomia da pessoa, e não se ela conseguiu ficar abstinente ou não, faz com que mais pessoas sejam beneficiadas. A Redução de Danos, para mim, pensando tanto na minha prática de saúde mental quanto em política pública, é o que deve ser adotada por ser a prática mais abrangente”.

Em 2013, ele foi indicado à Prefeitura de São Paulo para a implantação do programa De Braços Abertos, do qual a Adesaf foi gestora entre os anos de 2014 e 2018.

O médico psiquiatra submeteu a dissertação de mestrado dele para o Comitê de Ética da Unifesp, que aborda uma pesquisa que vai comparar o uso do canabidiol para diminuição da fissura entre usuários de crack e cocaína que frequentam a Cracolândia, da qual o médico renomado Dartiu Xavier é orientador do trabalho.
Para Fernanda Gouveia, essa parceria só tem a somar na formulação de efetivas políticas públicas voltadas a pessoas que estão em situação de rua que fazem uso problemático de drogas.

“O Falcone é uma grande referência nesta área. Estou muito feliz – e ansiosa – para já começar a desenvolver novas ações e novos projetos no território”.

Está gostando do conteúdo? Compartilhe!

Posts recentes

Esperança para o autismo

Parece estranhamente surpreendente como a história, mais cedo ou mais tarde, apresenta-nos verdades que outrora eram refutadas ou inaceitáveis em determinados períodos históricos, como a

VER MAIS »